Notícias

Consultas

solicite seu orçamento de certificação
01 nov 2021

De grãos à aquicultura, vencedoras do Prêmio Mulheres do Agro provam ser capazes de liderar com excelência

Mulheres com histórias inspiradoras estão espalhadas por todo o Brasil. A prova de que a gestão feminina no agronegócio ganha maior proporção a cada ano se mostra com as histórias das vencedoras da 4ª edição do Prêmio Mulheres do Agro, organizado pela Bayer e Associação Brasileira do Agronegócio (Abag). De grãos à aquicultura, as premiadas se comprometem com o alto nível de excelência da gestão, equilibrando os pilares econômico, social e ambiental, sem se preocupar com a questão de gênero na hora de tomar decisões.

Foi assim com Liliane Queiroz, vencedora da categoria Média Propriedade. Durante da live da Globo Rural com as primeiras colocadas da premiação, a mineira da cidade de Unaí (MG) contou que a Fazenda Primavera costumava ser gerida pelo sogro, mas aos poucos ela foi introduzida na administração dos negócios e teve que ter pulso firme para mostrar que a mulher também sabe ser líder.

Ela começou produzindo apenas grãos, mas depois implantou armazéns e silos e passou a investir na pecuária de corte, como resultado de 70 cabeças de gado que ganhou sogro.

“Quando nós assumimos a gestão sem o meu sogro, os funcionários só começaram a me respeitar depois que meu marido foi fazer uma viagem inesperada e nesse período eu demiti um funcionário. Só assim eles perceberam que eu tenho voz ativa”, lembra. Atualmente, a produtora é dona da marca “Dama do Agro”, bicampeã no Circuito Nelore de Qualidade, mas também reconhecida pela produção e alta qualidade e armazenamento de grãos.

Já a produtora Erika Urban Rodrigues, do Grupo Farroupilha, em Patos de Minas (MG), ressalta que um dos maiores desafios para assumir a gestão foi a idade. A primeira colocada na categoria Grande Propriedade no Prêmio contou que, por tocar os negócios ao lado do pai e do irmão, o respeito como mulher aconteceu normalmente. Mas ela confessa que alguns funcionários olhavam com desconfiança devido à idade, já que, à época, ela tinha 22 anos.

Junto com a nova geração e a sucessão familiar, Erika, atualmente aos 36 anos, aos poucos foi adotando novas tecnologias para uma administração mais profissionalizada. E com isso, não só facilitou a adaptação com o time, formado por 500 funcionários efetivos e mais 500 safristas, como também ampliou programas de formação para os colaboradores.

“O projeto Renova Farroupilha trata de quatro vertentes, recuperação de nascentes e gestão de recursos hídricos, cuidado com solo e manejo, recuperação de fauna e flora e reflorestamento com mudas, todas do Cerrado originalmente”, ressalta Erika ao também revelar um programa para conclusão do Ensino Médio para funcionários que não tiveram a oportunidade.

Quem também mostra dar valor para educação, pesquisa e a vida acadêmica é Márcia Kafensztok, no comando da Primar Aquacultura, em Tibau do Sul (RN) e vencedora da categoria Pequena Propriedade. Orgulhosa, ela diz que esta é a primeira fazenda de aquacultura orgânica certificada do Brasil, que produz camarões e ostras nativas. Mas mais do que a comercialização em larga escala, Márcia almeja que a Primar se torne um instituto de pesquisa.

Formada em design com uma carreira distante da aquacultura, Márcia se viu no dilema de fechar a empresa após a morte do marido, especialista no assunto. “Não tive coragem de acabar com negócio, achava muito bonita a dedicação à aquacultura e decidir aprender para dar continuidade”, diz contente ao compartilhar os planos.

“Temos o objetivo de ser uma instituto de pesquisa em aquacultura, mais ainda para ostras nativas, porque projetos assim só existem dois. Nosso laboratório de reprodução de ostras nativas tem sete anos e as pesquisas são todas envolvendo novas espécies, que a gente não domina ainda”, projeta.

Confira a live na íntegra abaixo:

Time completo

Desde que o Prêmio Mulheres do Agro foi criado, em 2018, aproximadamente 700 mulheres se inscreveram na iniciativa, que reconheceu o trabalho de 36 gestoras pelo Brasil. O time completo de vencedoras desta 4ª edição também é composto por outras seis produtoras que conquistaram as segundas e terceiras posições do pódio.

Confira abaixo o perfil das ganhadoras:

https://revistagloborural.globo.com/Premio-Mulheres-do-Agro/noticia/2021/10/de-graos-aquacultura-vencedoras-do-premio-mulheres-do-agro-provam-ser-capazes-de-liderar-com-excelencia.html#:~:text=2/6,Pr%C3%B3ximo