Notícias

Consultas

solicite seu orçamento de certificação
12 jun 2020

As importações de frutas tropicais orgânicas aumentaram na UE, enquanto as importações de cereais orgânicos diminuíram em 2019

No geral, as importações de produtos agro-alimentares orgânicos permaneceram estáveis ​​entre 2018 e 2019. Em termos de produtos, as importações de cereais orgânicos diminuíram em 2019, enquanto as importações de frutas tropicais, bolos de óleo, soja e açúcar aumentaram. Essas são algumas das principais conclusões do relatório sobre as importações da UE de produtos agro-alimentares orgânicos: principais desenvolvimentos em 2019 , publicado hoje pela Comissão Europeia.

Em 2019, a UE importou 3,24 milhões de toneladas de produtos agroalimentares orgânicos, um ligeiro aumento de 0,4% em relação a 2018. As importações agroalimentares orgânicas representam cerca de 2% do total das importações agroalimentares para a UE.

A maioria dos produtos orgânicos importados na UE eram commodities (incluindo cereais, óleos vegetais, açúcares, leite em pó e manteiga), representando 54% do total das importações agro-alimentares orgânicas em termos de volumes. Outros produtos primários (incluindo carne, frutas, vegetais, iogurte e mel) representaram 38% das importações em volume. No entanto, commodities e outros produtos primários têm um valor menor do que os produtos processados, levando a representar 38% e 43%, respectivamente, das importações em termos de valor. Os produtos processados ​​representaram 6% das importações em termos de volume, mas 11% em termos de valor.

Na UE, os estados membros que importaram a maioria dos produtos orgânicos em 2019 são a Holanda (32% em volume), Alemanha (13%), Reino Unido (12%) e Bélgica (11%).

Em relação às origens dos produtos, os dez países que exportaram a maioria dos produtos orgânicos para a UE representaram 70% das importações em termos de volume em 2019, com China (13%), Ucrânia (10%), República Dominicana (10%), Equador ( 9%), Peru (7%), Turquia (7%), Índia (5%), Colômbia (3%), Cazaquistão (3%) e Brasil (2%).

As importações da China incluem principalmente bolos de óleo orgânico, enquanto o Equador, República Dominicana e Peru exportam principalmente frutas tropicais orgânicas, nozes e especiarias para a UE. A Ucrânia, a Turquia e o Cazaquistão exportam principalmente cereais orgânicos (incluindo trigo, exceto arroz). Finalmente, a principal exportação do Brasil e da Colômbia para a UE é o açúcar orgânico.

Em geral, os produtos orgânicos mais importados em 2019 foram frutas tropicais, nozes e especiarias, representando 27% do volume total de importações orgânicas (0,9 milhão de toneladas). As bananas representam uma parte significativa dessas importações, constituindo 85% das importações de frutas tropicais. Os bolos de petróleo são os próximos, com 12% das importações orgânicas (0,4 milhão de toneladas), seguidos pelos cereais (excluindo trigo e arroz) e açúcar, ambos representando 7% (0,2 milhão de toneladas).

Em relação a 2018, as maiores mudanças estão relacionadas ao aumento das importações de frutas tropicais, nozes e especiarias (aumento de 13%), açúcar (aumento de 29%), legumes (+ 8%), café não torrado, chá e mate (a 11%) e soja (+ 25%). Em termos de redução em relação a 2018, os cereais – exceto trigo e arroz – caíram 8%, trigo 16% e oleaginosas que não a soja 17%.

Mais informações podem ser encontradas no relatório ‘ Importações da UE de produtos agro-alimentares orgânicos: principais desenvolvimentos em 2019 ‘, incluindo mais detalhes sobre as importações de cereais orgânicos, oleaginosas, açúcar, frutas e legumes, café, chá, azeite, grãos de cacau e produtos de origem animal.